Livro homens São de marte e Mulheres São de Vênus de John Gray



Um guia prático para melhorar a comunicação e conseguir o que você quer nos seus relacionamentos. Um guia seguro para que um homem entenda, por exemplo, que o desabafo é uma atitude tipicamente feminina. E a mulher perceba que se trancar a sete chaves com seus problemas é uma atitude masculina.

Todas as mulheres são iguais? E os homens, idem. Quando se aborrecem, eles querem silêncio e solidão. Já entre elas, as preocupações resultam na matraca desenfreada, pois falando acalmam-se. O ego masculino é movido à base de conquistas? O feminino é pura emoção. Ele deve escutá-la, e ela compreender seu silêncio. Conclusão: marido e mulher não falam a mesma língua, não são do mesmo planeta: Homens são de Marte? Mulheres são de Vênus. É o que garante o psicólogo e escritor John Gray.
A história de vida de John Gray não é menos curiosa do que suas afirmações. Aos 19 anos, ele viajou para a Europa, com o desejo de "expandir a consciência e aumentar meu poder de percepção...". O que o levou a viver por nove anos como monge do guru Maharishi Mahesh Yogi ? o mesmo que fez a cabeça dos Beatles. Com o tempo, porém, ultrapassou os limites do movimento, e passou a meditar sobre seu próprio ideário.
"O sexo mudou a minha vida, era uma nova espécie de êxtase, diferente do espiritual. Percebi? e admiti? que, para mim, sexo e dinheiro são tão importantes quanto a espiritualidade", diz Gray. Anos mais tarde, passou a sua matéria predileta, o casamento, e descobriu sua especialidade: intérprete de casais. "A principal causa dos conflitos é que homens e mulheres não conseguem comunicar-se. É preciso que cada um se disponha a aprender o idioma do sexo oposto, traduzir e interpretar seu pensamento", afirma ele.
"Os marcianos? No caso, os homens? Dão muita importância ao trabalho, à competência, à capacidade e às conquistas. Já para as venusianas? As mulheres? Há coisas mais importantes que isso: qualidade dos relacionamentos, família, casa, amor e cooperação comunitária", ensina. Quando o acusam de simplificar o que é complexo, ele defende-se: "Não é verdade. Eu dei uma nova visão a tudo isso. Homens e mulheres, podemos ser iguais e diferentes ao mesmo tempo." O livro foi lançado em 1992 nos Estados Unidos e vendeu mais de dois milhões de exemplares, ficando na lista dos mais vendidos da Publishers Weekly por mais de 112 semanas.







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em Terra de "Egos", quem vê o outro é Rei

Você é um Trabalhador da Luz em Missão na Terra? Descubra!

O Sentido da Vida