O que você precisa para ser feliz?

O que você precisa para ser feliz?
Saúde, paz, família, amigos, dinheiro...
As repostas serão muitas.
Não tantas a ponto de não encontrarmos um certo padrão, e nem poucas a ponto de nos esquecermos da pluralidade de personalidades presentes em nosso planeta.
Mas a questão não é essa.
Não importa qual o conjunto de “exigências” que você tenha para se considerar feliz. Tão pouco importa se são muitas ou poucas.
Os considerados ambiciosos, ou possuem muitas exigências, ou da gama restrita de exigências que possuem, querem em alto grau, ou querem muito de muito.
Os mais humildes, possuem poucas exigências, ou das que tem, não querem tanta coisa, ou querem pouco de pouco.
Entre o mais ambicioso e o mais humilde, uma infinidade de combinações.
Mas mais uma vez, isso nada importa.
Para os ambiciosos ajuda externa não faltará. O incentivo a competição estará sempre presente. Os mais influentes são os bilionários, ou aqueles que possuem os cargos de três letrinhas do mundo corporativo, ou então, as estrelas da mídia. São deles os conselhos ouvidos, são eles as referências.
Quanto mais se quer, mais duro será o caminho, e a selva, é de pedra.
Para os mais humildes, a armadilha está “no jeito”. Basta você atingir o seu patamar, até então considerado ideal, para que, ou se aumente as exigências, ou o grau de alguma exigência seja alterado para um valor maior.
Mas sejamos honestos, tanto os ambiciosos quanto os humildes, podem chegar lá.
E chegando “lá”, inicia-se um novo desafio, que é manter-se lá. A distância entre a felicidade completa e a tristeza geral, é muito tênue para quem está em busca da felicidade. Basta um insucesso no relacionamento, que toda a felicidade se vai por água a baixo. Basta uma doença onde havia a saúde, que toda a paz se esvai. Basta um “tombo” financeiro, que se esgota toda a confiança. Basta um assalto a mão armada, que desaparece toda a tranquilidade.
Mas vamos abusar do otimismo.
Supondo que você consiga atingir o patamar ideal de felicidade, e consiga manter esse patamar, lhe afirmo que não serão necessárias mais que três encarnações consecutivas alcançando o tal objetivo para que, em algum momento, de dentro do seu coração, venha o seguinte questionamento: isso é ser feliz?
E a razão de tudo isso é muito simples de se entender: só Deus, o Todo, existe, e Ele, é amor.
Deus é fácil de ser entendido, difícil de ser aceito, e só pode ser sentido.
Entendam: Deus, o Todo, é onipresente, onisciente e onipotente. Se Ele é onipresente, Ele está em tudo. Se nós existimos, Ele está em nós, portanto, nós somos Ele.
Acontece que Deus é um sentimento, e esse sentimento, é o amor.
Seguindo o raciocínio: só Deus, o Todo, existe, nós, que existimos, só podemos ser “feitos” Dele. Ele é amor, logo, o que somos? Sim, amor.
Tecnicamente falando, nós temos sete corpos, todos constituídos por átomos que vibram em frequências diferentes, pois estão em dimensões diferentes. O conteúdo que preenche cada átomo, esteja ele na dimensão que estiver, a matéria prima da qual eles são feitos, é uma onda, e essa onda, é um sentimento, que é o amor.
Isso implica em dizermos que: na realidade, nós somos feitos de amor, pois “nós”, na verdade, somos Ele.
Então enquanto a felicidade não for oriunda da sensação de se sentir Deus, unificado com o Todo, não se pode dizer que é feliz.
Somente quando se sente Deus se atinge a harmonia, pois, a harmonia é fruto do perfeito equilíbrio. E algo só está perfeitamente equilibrado, quando está em sua essência de forma plena, e, a essência de tudo que existe, é Ele, o amor.
Qualquer felicidade diferente dessa, não passa de um mero cumprimento de exigências do seu ego, que são interpretadas pelo seu cérebro, através da liberação de hormônios do prazer, como uma sensação de felicidade, e que terá um breve período de duração.
E pode ter certeza, o ego não se cansará de criar novas e novas exigências, e você, se não tomar as rédeas da situação, irá passar encarnações e mais encarnações correndo atrás dessas exigências, como um cachorrinho corre atrás do próprio rabo.
A busca pela felicidade em si é ilógica. Só buscamos algo que não temos, e se buscamos ser felizes, quer dizer que não estamos felizes. Porém, na verdade, nós não existimos, quem existe é Ele, e Ele, é a felicidade pura.
Enquanto houver a busca pela felicidade, a vida se resumirá a altos e baixos. Somente quando se está consciente, somente quando se está acordado, é que se pode saborear o verdadeiro paladar da existência.
Quando se está consciente é que se sente que somos irmãos, partes do mesmo Todo, e que um relacionamento afetivo só pode existir entre seres que vivem o amor incondicional, e não esse “amor” possessivo, alimentado pelo ego, que se vive na Terra, onde se estar com alguém, é ter esse alguém.
Somente quando se está evoluído é que se compreende que a doença nada mais é que o fruto de pensamentos e sentimentos desequilibrados que temos, e que terão seu desaguar no corpo físico. Na realidade, só existe a saúde, o que acontece é que, mesmo que você não sinta o Deus em você, tem uma parte d'Ele em potencial, e, cada pensamento e sentimento que você emitir, terá como resposta exatamente o mesmo conteúdo. Então cada pensamento/sentimento que tiveres diferente do amor, estará promovendo um pensamento/sentimento desarmonioso. O fruto dessa desarmonia, é o que convencionamos chamar de doença.
Somente consciente somos capazes de lidar com qualquer “dificuldade” que possamos vir a ter, pois se tem a sabedoria que tudo que vivemos, é fruto de pensamentos e sentimentos que tivemos e que, por estarmos aqui, terão uma diferença de tempo entre a ação e a reação. Então um “tombo” financeiro nada mais é que a reação a um pensamento/sentimento diferente do amor incondicional que tivemos no passado, na “frente” financeira de nossa vida.
Somente acordado temos a lucidez de entender que toda violência, toda maldade, na verdade, não existem. O que existe são irmãos que se perderam no caminho, que em algum momento da sua existência esqueceram que também são Deus e, a partir desse esquecimento, cometem atos contra seus próprios irmãos. A esses atos de baixa vibração, demos o nome de maldade.
É preciso que se entenda que todo o sofrimento que passamos, toda a tristeza que temos, são frutos de pensamentos e sentimentos de um estado de consciência diferente da unicidade com Deus, o Todo. Não existe punição, não existe julgamento, o que existe é eletromagnetismo, e o que enviamos, é o que recebemos. Bom ou ruim.
O caminho de volta para casa começa com o autoconhecimento, onde é possível reconhecer, em si mesmo, todos os programas, todas as crenças limitantes que te impendem de ser quem realmente é, que é Ele, o Todo.
Somente através da conscientização, somente através da expansão da consciência, é que podemos atingir um estado que nos permita enxergar, com os olhos de ver, as amarras que terão que ser desfeitas para voltarmos a nossa essência.
Nada na vida de um ser é mais importante que a busca pela iluminação espiritual, nada é mais importante que estar acordado, pois, somente assim é possível encontrar a paz, somente assim, é possível sentir o amor e sermos felizes de verdade.
Busque Conhecimento, Emita Amor, Seja Luz!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em Terra de "Egos", quem vê o outro é Rei

Você é um Trabalhador da Luz em Missão na Terra? Descubra!

O Sentido da Vida