Enfermidade é o conflito entre a sua personalidade e a sua alma

“A enfermidade é um conflito entre a personalidade e a alma.
O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a “criança interna” tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.
Os joelhos doem quando o orgulho não se dobra.
O câncer mata quando não se perdoa e/ou cansa de viver.
E as dores caladas? Como falam em nosso corpo?
A enfermidade não é má, ela avisa quando erramos a direção.
O caminho para a felicidade não é reto, existem curvas chamadas Equívocos.
Existem semáforos chamados Amigos.
Luzes de precaução chamadas Família.
Ajudará muito ter no caminho uma peça de reposição chamada Decisão.
Um potente motor chamado Amor.
Um bom seguro chamado FÉ.
Abundante combustível chamado Paciência.
Mas há um maravilhoso Condutor e solucionador chamado DEUS”
É necessário que fiquemos atentos aos sinais físicos de desequilíbrio, sinais de que possivelmente estamos a trilhar caminhos não reconhecidos pelo nosso coração, estranhos, deprimentes, conflitantes com a nossa alma.
Hoje em dia, às vezes ouvimos falar de pessoas que vão ao médico e ouvem dele que a sua doença era de fundo emocional ou que sua moléstia tem uma origem do sistema nervoso, de acúmulo de estresse, ansiedade. Todas estas causas (fundo emocional, nervoso, etc) significam o mesmo: a origem do sintoma não é orgânica, não está no físico ou no corpo. É, portanto, uma doença psicossomática.
A palavra psicossomática é de origem grega. É uma junção de duas palavras gregas: psique (psico – alma) e soma (corpo). E, deste modo, uma doença psicossomática é aquela que não é exclusivamente somática, corporal, mas tem origem na psique, na alma. Evidente que é difícil dizer com clareza o que é a psique. Porém, a ideia é simples: a psique inclui tudo o que não conseguimos localizar no corpo de uma maneira específica: nossas emoções, sentimentos, pensamentos. Mesmo com as descobertas da neurociência, ainda há muitas questões a serem esclarecidas quanto à localização no cérebro.
Por exemplo, alguns autores argumentam que dores de cabeça (sem origem física) são resultado de um comportamento excessivamente autocrítico ou perfeccionista.
Então, teríamos:
– dores de cabeça psicossomáticas = autocrítica, perfeccionismo
A ideia é interessante e poderíamos ir listando outros sentidos:
– intestino preso = problemas mal resolvidos
– tosse e alergias respiratórias = irritação com algo no ambiente
E assim por diante... Este tipo de quadro de significados das doenças emocionais é interessante porque seria uma saída para a cura. Se eu estou sentindo dor de cabeça, avalio se estou me criticando. Se é verdade que estou me criticando, tento parar de me criticar para que a dor de cabeça cesse. Se eu estou com o intestino preso, é porque tenho que resolver um problema. Se resolver o problema, o intestino volta a funcionar normalmente.
Ou seja, teríamos a elucidação da causa psíquica e teríamos então um “remédio” para que a causa fosse eliminada e o sintoma curado.
As doenças psicossomáticas são aquelas causadas ou agravadas por distúrbios emocionais ou sentimentos como raiva, ansiedade, angústia, medo ou desejo de vingança, pois estes estados mentais são capazes de interferir no metabolismo e na dinâmica do corpo, podendo produzir sintomas ou, até, influenciar no surgimento e piora de doenças reais como gastrite, alterações digestivas e pressão alta.
Assim, uma pessoa com doença psicossomática é aquela que tem queixas físicas, como dor, diarréia, tremores e falta de ar, que não são completamente explicadas somente por doenças orgânicas, já que as análises médicas são sempre normais.
Esta situação também é chamada de transtorno de somatização, e é comum em pessoas ansiosas e depressivas que não procuram tratamento psiquiátrico ou psicológico corretos, geralmente, com psicoterapia e medicamentos antidepressivos.
Cada pessoa pode manifestar fisicamente as suas tensões emocionais em diferentes órgãos, podendo simular ou piorar muitas doenças. Fisiologicamente nota-se durante os estados de excitação, medo, raiva etc., produz-se de forma imediata uma modificação nas constantes vitais: a pressão sanguínea se eleva, o ritmo respiratório se acelera e produzem-se secreções, como a transpiração e a descarga de adrenalina. Tal preparação fisiológica para situações constitui uma resposta transitória, que atua até que as circunstâncias externas ameaçadoras tenham deixado de existir.
Entretanto, se o estado biopsíquico perdura a ponto de se tornar habitual, os mecanismos neuro-hormonais se alteram e exercem sobre órgãos e tecidos uma pressão superior à que se requer para seu funcionamento normal, ocasionando assim as doenças psicossomáticas.
Doenças psicossomáticas são divididas em três grupos que podem agir isolados ou adjacentes:
1. Sintomas como: Dores de estomago, dores de cabeça, tonturas, cólicas, provocadas por Stress, cansaço, nervoso ou mesmo alegria, portanto a causa é emocional, como exemplo uma dor no peito por uma pessoa se emocionar, porém não tem causa coronária ou pulmonar.
2. Dores ocasionadas pelos estados emocionais produzem males físicos, ou abaixam a defesa do organismo até ocasionar doenças, a exemplo temos a ulcera estomacal.
3. Quando existe um mal físico e tem seu grau de dor elevado ou sua dimensão ampliada devido aos estados emocionais, a exemplo podemos citar a hérnias ou tumores.
No século XX várias teorias tentaram compreender e explicar os fenômenos psicossomáticos, a maioria fundamentada nos ditos de Sigmund Freud eferentes ao "Ego", "Super-Ego" e o "Id' , o próprio Freud defendia a ideia que a medicina deveria aliar-se às perspectivas envolvidas no psíquico onde propunha uma ótica etnocêntrica no tratamento das enfermidades.


Sr. Masaru Emoto, executou experiências com a água, submetendo-a ao pensamento humano. Os experimentos de Emoto consistem em expor água a diferentes palavras ou música, e então congelá-la e examinar a aparência do cristal de água sob um microscópio; contrariando a sabedoria dominante na ciência, a água respondeu a essas expressões. As águas com mensagens positivas formaram belos cristais, a com mensagens negativas, os cristais ficaram deformados.
Nossos corpos 70% a 90% são água, na humanidade, toda a forma de vida, é composta de água.
Bill Tiller chefe do departamento de Ciências dos Materiais em Stanford, elaborando experiências para verificar se as intenções humanas podem afetar os sistemas físicos, construiu um DERI; que foi colocado em um local, e ao seu redor foram colocados quatro médiuns. Eles entraram em estado de meditação profunda, concentrando suas energias para a água; o objetivo é influenciar um experimento-alvo, especifico: aumentar ou diminuir, o pH da água. Os testes foram feitos por quatro meses, usando "caixas" diferentes a cada mês. Resultado: O pH da água mudou em todas as tentativas, a probabilidade das mudanças terem ocorrido naturalmente era de menos 1 para 1000.
Tiler afirma que se o pH do seu corpo mudar em uma unidade, você morre.
A capacidade do pensamento em atrair para si ou projetar para outros, coisas boas ou ruins tem o nome de Psicosfera que vem do grego psyché + sphaîra e quer dizer: Campo de radiação do perispírito, que se exterioriza em redor do próprio organismo físico.
O pensamento é energia que constrói imagens que se consolidam em torno de nós. Impressas no perispírito elas formam um campo de representações de nossas ideias, construímos, portanto em torno de nós uma atmosfera psíquica (psicosfera) onde estão representados os nossos desejos. Neste cenário, estarão todos os personagens que nos aprisionam o pensamento pelo amor ou pelo ódio, pela indiferença ou pela proteção, etc. Medos, mágoas não resolvidas, ideias fixas, desejo de vingança, objetos de sedução, tudo se estrutura na psicosfera que alimentamos, tornando-nos prisioneiros dos nossos fantasmas.

"O ser humano é um conjunto harmônico de energias, constituído de Espírito e matéria, mente e alma, emoção e corpo físico, que interagem em fluxo contínuo uns sobre os outros. Qualquer ocorrência em um deles reflete no seu correspondente, gerando, quando for uma ação perturbadora, distúrbios, que se transformam em doenças, e que, para serem retificadas, exigem renovação e reequilíbrio do fulcro onde se originaram. Desse modo, são muitos os efeitos perniciosos no corpo causados pelos pensamentos em desalinho, pelas emoções desgovernadas, pela mente pessimista e inquieta na aparelhagem celular."


"Pensamentos, emoções e sentimentos harmoniosos contribuem para manutenção do equilíbrio e saúde física, mental e espiritual do ser humano. O contrário gera profundas disfunções e distonias causadoras de desequilíbrios, doenças e enfermidades, reversíveis ou irreversíveis, podendo contribuir significativamente para a instalação de um processo auto ou heteroobsessivo.[...]"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livro Corpo Fechado ~ Robson Pinheiro

Em Terra de "Egos", quem vê o outro é Rei

Mandalas - Geometria Sagrada